O que é Web Tracking e por que é ruim para sua privacidade na Internet?

o que é rastreamento web: a imagem ilustrativa de um biscoito maligno dentro de um navegador web visto com uma lupa
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no email

O rastreamento da web é a prática de coletar e armazenar os dados dos usuários da Internet. Toda vez que você acessa um website, você deixa impressões digitais que podem ser rastreadas. Esses traços fornecem informações sobre seus dados pessoais, interesses, preferências e comportamento. Todos os dados coletados sobre você são então armazenados e recebem um identificador único.

Com o tempo, as informações sobre você online se tornam mais amplas e detalhadas, ao ponto de que os proprietários do site e outras partes interessadas podem criar um perfil individual bastante completo sobre sua vida. Neste artigo, você aprenderá mais sobre como funciona o rastreamento pela Internet, entenderá como ele o afeta e o que você pode fazer para proteger sua privacidade digital.

Conteúdo

Afinal, o que é Rastreamento Web (tracking)?

Web tracking, ou rastreamento pela Internet, refere-se às técnicas utilizadas pelos websites e serviços web para monitorar a atividade de seus usuários, reunindo assim informações valiosas sobre eles.

Embora possam ter outras conotações no campo da tecnologia da informação, essas expressões são utilizadas de forma intercambiável em muitos casos, bem como o rastreamento de websites.

Afinal de contas, os websites são o meio mais comum de rastreamento da web. É por isso que este artigo enfoca principalmente esse tipo particular de rastreamento na Internet.

Quem está rastreando você na internet?

Praticamente todos estão rastreando você na Web. Websites, aplicativos móveis, aplicações web e todos os outros serviços ou ferramentas conectados à Internet provavelmente estão rastreando sua atividade.

Aqui está uma lista não exaustiva de serviços web mantendo registros de suas ações:

  • Os sites que você visita;
  • Os aplicativos móveis que você tem instalados em seus dispositivos;
  • Sua operadora de telecomunicação;
  • Seu provedor de serviços de internet;
  • O navegador que você usa para acessar a internet;
  • As mídias sociais onde você mantém seus relatos pessoais;
  • O mecanismo de busca onde você digita suas consultas;

 

Como as empresas rastreiam você online?

As empresas utilizam softwares modernos chamados "web trackers" para monitorar as atividades dos visitantes em seus websites. Os rastreadores aplicam diferentes métodos de perfilagem para coletar e armazenar dados dos usuários à medida que eles interagem com o conteúdo das páginas web vigiadas.

Para lhe dar uma idéia mais clara de quem está rastreando você, é essencial distinguir entre rastreadores diretos e rastreadores de terceiros. Mas primeiro, precisamos saber o que é um rastreador.

O que é um web tracker?

O Web Tracker é um tipo de software especificamente projetado para permitir o rastreamento do uso da web. Essas são as ferramentas que permitem que aplicativos e proprietários de sites coletem os dados dos usuários.

O rastreador de internet mais popular é o Google Analytics, usado por quase 65% dos 10.000 melhores sites com tecnologias de análise web [1].

Uso de ferramentas de rastreamento web: Tela de impressão da SimilarWeb das principais tecnologias analíticas usadas para rastrear os visitantes do site
A maioria das tecnologias analíticas adotadas entre os 10K melhores sites que rastreiam visitantes, de acordo com a SimilarWeb.

Como a maioria das ferramentas do Google, o Analytics é livre para usar. Mas, para pessoas como você e eu, isso significa que o grande G está recebendo enormes volumes de dados das propriedades da web que ele monitora.

Rastreadores de primeira mão contra rastreadores de terceiros

Neste cenário, os websites são rastreadores de primeira viagem, uma vez que estão em contato direto com o visitante. O Google Analytics e outros softwares de rastreamento são, portanto, rastreadores de terceiros.

Embora você possa ter algum controle sobre seu "relacionamento" com as empresas cujos websites você visita, esse dificilmente é o caso de empresas terceirizadas.

Como funciona o rastreamento pela web?

O rastreamento pela Internet funciona de muitas maneiras. Ao contrário de outras situações em que você compartilha voluntariamente informações, os sites têm constantemente rastreado os visitantes em segundo plano sem seu consentimento.

Soluções modernas de rastreamento podem fornecer rastreamento entre dispositivos e registrar as atividades de uma pessoa através de diferentes dispositivos e serviços web. Existem muitas técnicas de rastreamento via web. Entretanto, estas são as mais utilizadas:

Cookies HTTP

Os cookies da Internet são pedaços de dados colocados nos dispositivos das pessoas por websites para ajudar a identificar os visitantes e manter o controle de sua atividade. O método essencial de rastreamento de visitantes implantado pelos websites é o uso de cookies HTTP nos navegadores da web.

Os cookies podem durar apenas alguns minutos (cookies de sessão) ou por períodos prolongados (cookies persistentes) antes de expirarem. Enquanto ativos, esses trechos de código podem armazenar inúmeros dados pessoais com base no comportamento do visitante.

Tela de impressão com um exemplo do número de cookies armazenados no navegador Chrome em um período de 4 horas: 107 cookies.
Um exemplo do número de cookies armazenados no navegador Chrome em um período de 4 horas.

Algumas ferramentas utilizam mecanismos mais avançados, como supercookies e biscoitos zumbis, que são mais difíceis de bloquear e apagar. Por esse motivo, representam maiores riscos de privacidade e segurança.

Identificação do endereço IP

Cada dispositivo conectado à Internet tem um identificador ou endereço único. Isto é necessário para que as máquinas possam se comunicar entre si adequadamente.

Através deste número, porém, também é possível reconhecer o dispositivo, monitorar sua atividade individualmente e apontar sua localização geográfica.

A maneira mais eficaz de ocultar seu endereço IP real é usar um rede privada virtual (VPN).

Impressão digital

A impressão digital é a técnica de coleta de dados sobre o hardware e o software subjacentes a um dispositivo para identificar sua singularidade. Simplificando, cada dispositivo tem configurações e configurações particulares que o tornam único na maioria dos casos.

Recuperando detalhes como o modelo do dispositivo, versão do navegador, fuso horário, preferências de idioma, extensões ativas do navegador, resolução da tela, é possível criar um perfil de máquina preciso, possivelmente sem equivalentes.

A Electronic Frontier Foundation (EFF) fornece uma ferramenta gratuita para teste se seu navegador tem uma impressão digital única identificável [2].

Tela de impressão da EFF's cobre sua ferramenta de trilhas para testar a impressão digital: concluiu que o navegador tem uma impressão digital única
Electronic Frontier Foundation Cover Your Tracks: ferramenta de teste de impressão digital.

Este método é comumente denominado impressão digital do navegador, pois as informações de perfil são normalmente obtidas através da interação com o navegador do dispositivo.

Além disso, porém, também pode ser chamada de impressão digital em tela, quando os dados são recuperados através do elemento HTML5 Canvas, usado para descrever preferências de renderização de imagens.

Web beacons e pixels de rastreamento

Web beacons ou web bugs são tags digitais embutidas em uma página da web ou e-mail para registrar as ações dos visitantes. Normalmente, estes bugs consistem de uma pequena imagem de 1 pixel quadrado e um script.

Quando uma pessoa acessa o conteúdo ou a página designada, o pixel de rastreamento é disparado, enviando os dados de volta para o rastreador.

O exemplo mais conhecido desse tipo de mecanismo de rastreamento que você provavelmente já ouviu falar é o pixel do Facebook.

Por que as empresas rastreiam você online?

As empresas rastreiam você porque precisam de seus dados. A obtenção de informações sobre seus clientes é fundamental para qualquer empresa, não importa seu tamanho ou indústria.

Há muitas razões específicas pelas quais eles rastreiam, armazenam e compartilham os dados pessoais das pessoas:

Anunciantes utilizar dados para elaborar mensagens segmentadas e personalizadas para seus públicos, aumentando, assim, as conversões e receitas;

Análise da web O software utiliza dados recuperados do tráfego e interações para entender o comportamento dos usuários, melhorando, assim, o conteúdo e as vendas;

Desempenho do site pode estar diretamente ligado a alguma configuração particular do usuário. Por exemplo, as preferências de idioma podem ser usadas para redirecionar o visitante para a versão de página mais adequada. Um cookie também pode ser implementado para manter o usuário logado entre as sessões;

Teste de usabilidade para protótipos e produtos recém-criados podem ser úteis para obter insights para melhor design e experiência do usuário (UX).

Essas são razões compreensíveis para o rastreamento da web, especialmente do ponto de vista comercial. Mas também pode ser bastante benéfico para indivíduos em muitas situações. Pense sobre os pais terem a capacidade de monitorar a navegação de seus filhos em busca de segurança.

Mas o problema é que limites podemos impor a essa prática, para que o rastreamento na web não prejudique seu direito à privacidade e, potencialmente, a sua vida pessoal.

Por que o rastreamento pela Internet é ruim?

Em uma medida razoável, não é realmente uma preocupação primordial para os clientes. Mas tudo começa a ser um enorme problema, considerando que quase todos os websites rastreiam seus visitantes e compartilham os dados coletados com terceiros. Isso significa que outras empresas sobre as quais você não tem nenhuma pista estão também seguindo você e armazenando suas impressões digitais.

Estamos vivendo na Era da Informação. Hoje, nada tem mais valor do que os dados. Empresas tecnológicas como o Google e a Amazon pressentiram cedo a importância e o poder dos dados. O Google construiu intencionalmente suas bases sobre serviços gratuitos para ter acesso a seus dados pessoais e comportamentais dos usuários [3].

"Estes programas nunca foram sobre terrorismo: são sobre espionagem econômica, controle social e manipulação diplomática". Eles são sobre poder".

Edward Snowden, o denunciante de vigilância da NSA [4]

Cada movimento que você faz on-line deixa pedaços de informação para trás. Esses traços permitem aos proprietários dessas propriedades da web (sites, aplicativos, serviços web) reunir informações sobre qualquer pessoa on-line.

Os serviços gratuitos com os quais as pessoas interagem constantemente on-line sabem muito sobre eles. As lojas de comércio eletrônico, por sua vez, têm muito mais informações sobre seus clientes do que o histórico de compras e os detalhes da conta contam.

Além disso, as agências governamentais rastreiam as atividades dos indivíduos para, supostamente, prevenir e resolver crimes. Programas de vigilância maciça vêm operando há anos com o colaboração dessas mesmas empresas gigantes [5].

O rastreamento pela web é uma prática aceitável ou um risco à privacidade?

São coletados, armazenados, compartilhados, processados e usados diariamente volumes pesados de dados sobre os usuários da Internet. Embora os sites que você visita sejam os mais aparentes bisbilhoteiros, sempre há softwares de terceiros rodando em paralelo, minerando dados e enviando-os para outros lugares.

Como resultado, há muitas informações pessoalmente identificáveis (PII) sobre você disponíveis para muitas outras empresas além daquelas com as quais você está lidando diretamente. Com milhares de pontos de dados vinculados a cada pessoa, é possível construir perfis bastante completos dos usuários da Internet.

Todo esse conhecimento pode representar um risco considerável em várias frentes. Como diz a frase, "Conhecimento é poder". Portanto, grandes quantidades de dados pessoais privados disponíveis para governos e empresas podem criar vantagens injustas e potencialmente perigosas.

Esse foi claramente o caso com o escândalo envolvendo a Cambridge Analytica e o Facebook [6] no contexto das eleições americanas, por exemplo.

Que informações os websites coletam sobre os visitantes?

Os sites da Web podem coletar muitos dados pessoais. Tudo depende das configurações de seu dispositivo, das ferramentas de proteção de privacidade que você usa e das ações que você realiza durante a navegação. Assim que você aterrissa em uma página, um website pode recuperar instantaneamente seu endereço IP e, como resultado, sua localização geográfica.

Enquanto você interage com seu conteúdo, ele começa a coletar e armazenar dados sobre seu comportamento, interesses e preferências. Os rastreadores podem coletar informações para construir um perfil de usuário bastante preciso baseado em evidências como vistas, cliques, buscas e histórico de navegação.

O rastreamento pela web é ilegal?

O rastreamento da web é uma prática legal. Mas é uma prática controversa. Graças aos defensores dos direitos digitais, denunciantes e representantes preocupados com a privacidade, o assunto tem fomentado um intenso debate público ao longo dos anos.

Os governos têm sido pressionados a abordar estas questões em muitos países, e suas ações têm resultado em leis regionais de proteção de dados em alguns casos. Como resultado, o que costumava ser um faroeste virtual é um ambiente muito mais regulamentado hoje em dia.

Leis de privacidade na Internet e direitos digitais

Leis de privacidade, tais como a Lei de Privacidade do Consumidor da Califórnia (CCPA) [7]  e o Regulamento Geral Europeu de Proteção de Dados (GDPR) [8] ofereceram esperança neste cenário. Agora, os sites precisam do consentimento dos usuários para coletar e armazenar dados, pelo menos em teoria.

Os sites defendem o rastreamento da web como uma medida necessária. Alguns cookies são simplesmente rotulados como "necessários" e não podem ser removidos pelos usuários. Eles são normalmente associados à experiência do usuário e à funcionalidade do site.

No entanto, o principal motor das empresas, como de costume, é na verdade a receita. Por isso, tornou-se comum ver as isenções de responsabilidade declarando que essas práticas são essenciais para manter o conteúdo "livre" para o usuário.

Apesar das recentes melhorias na regulamentação, ainda é um desafio encontrar soluções viáveis e éticas considerando todos os interesses envolvidos. O marketing agressivo, práticas publicitárias inescrupulosas e alianças globais de vigilância ainda representam riscos consideráveis para os direitos digitais, especialmente para a privacidade.

As freqüentes violações de dados e escândalos de exposição de informações pessoais endossam que ainda há muito a ser feito nesse sentido.

Como parar o rastreamento pela Internet?

Há várias ações que você pode tomar para parar o rastreamento da web e proteger sua privacidade. Essas ações variam de simples ajustes de configuração em seu navegador, como bloqueio de cookies, a táticas mais avançadas, como o uso de um serviço VPN para ocultar seu endereço IP.

Limpe regularmente os cookies de seu navegador

É uma medida menor para a extensão do problema, mas ainda assim um bom começo. Embora possa não eliminar os biscoitos mais complexos, ajudará a limpar a bagunça logo de cara.

Você também deve limpar o cache do seu navegador com freqüência. Fazê-lo todas as semanas pode ser uma melhoria significativa para sua proteção de privacidade.

Se você não sabe como fazer isso, você pode encontrar um dos muitos tutoriais online fáceis de seguir [9] para ajudar com o processo de seu navegador em particular.

Ajuste as configurações de privacidade do seu navegador

Todos os principais navegadores têm configurações incorporadas que permitem controlar melhor suas preferências de privacidade. Basta gastar alguns minutos para entender as configurações e opções à sua disposição. Você pode configurá-lo para enviar aos sites uma mensagem Não Rastrear, por exemplo.

Mais uma vez, você pode tirar proveito de artigos de como fazer referência. Mas esteja ciente de que alguns dos principais navegadores são mais benéficos do que outros em termos de proteção de privacidade. Esse é o caso de Firefox da Mozilla [10]por exemplo.

Mudar para um navegador com foco na privacidade

Melhor ainda do que ajustar suas configurações de privacidade é usar um navegador dedicado para proteger seus dados. Este tipo de software proporciona uma navegação segura e privada, protegendo-o contra scripts de tacking.

Navegadores como Epic [11] são bem adequados para essa tarefa, já que são cuidadosos com a privacidade, por serem projetados.

Dedique alguns segundos para ajustar suas preferências antes de aceitar a política de privacidade de cada site. Sei que é tentador clicar no botão imediatamente; afinal de contas, eles são feitos para isso.

Entretanto, se você não tiver tempo para ler os termos deles, pelo menos você deve dar uma olhada nas configurações.

Em teoria, os websites têm que oferecer uma maneira simples e fácil para que você consinta ou opte por não fazê-lo na primeira vez que visitar.

Para facilitar e dar-lhe um avanço, instale a extensão Ghostery em seu navegador [12]. É uma extensão de navegador bastante útil. Através de sua interface simples, você poderá ver quem já está rastreando você e remover os cookies indesejados.

Usar servidores proxy

A proxy é uma máquina intermediária entre seu dispositivo e o servidor do site. Ela pode disfarçar seu IP em um outro. É uma excelente maneira de dar aos rastreadores o pão ralado errado para seguir.

Os procuradores têm algumas limitações, porém, fazendo da próxima opção, VPNs, uma solução mais adequada para suas preocupações com privacidade.

Usar Redes Privadas Virtuais (VPNs)

As VPNs são ferramentas poderosas para ajudar com sua privacidade e segurança on-line. Assim como os proxies, as VPNs podem facilmente falsificação de seu endereço IPO que torna muito mais difícil para os rastreadores segui-lo e farejá-lo em sua vida. Na verdade, alguns provedores de VPN também oferecem extensões de navegadores gratuitos que atuam como procuradores.

Entre vários outros benefícios, eles também codificam seus dados de tráfego, garantindo maior segurança enquanto limitam os rastreadores de informações que irão coletar. Uma boa VPN também pode oferecer soluções para tecnologias de vigilância implantadas por corporações e governos sombrios.

Muitos serviços de VPN também vêm com recursos adicionais como anúncios e bloqueadores de malware. Todas essas funcionalidades juntas fazem das VPNs uma grande escolha, já que elas podem lidar com a maioria dos métodos modernos de rastreamento da web.

Referências e recursos adicionais

  1. SimilarTech. Participação no mercado de tecnologias Web Analytics.
  2. Cubra seus rastos. Fundação Fronteira Eletrônica (EFF)'s Ferramenta de rastreamento e teste de impressão digital.
  3. Minha atividade no Google. O que o Google gravou de suas atividades de navegação.
  4. Edward Snowden. Uma Carta Aberta ao Povo do Brasil.
  5. O programa Prism da NSA acessa os dados dos usuários da Apple, Google e outros. O Guardião, 7 de junho de 2013. Website.
  6. Escândalo de dados Facebook-Cambridge Analytica. Artigo da Wikipedia.
  7. Lei de Privacidade do Consumidor da Califórnia (CCPA).
  8. Regulamento Geral Europeu de Proteção de Dados (GDPR).
  9. Como limpar Cache e Biscoitos. WikiHow-to article.
  10. Navegador Firefox da Mozilla. Download gratuito.
  11. Navegador de Privacidade Epic. Download gratuito.
  12. Extensão do navegador Ghostery. Página adicional de instalação.
Sua assinatura não pôde ser salva. Por favor, tente novamente.
Quase lá! Você'receberá um e-mail dentro de alguns minutos. Abra-o e clique no botão para confirmar sua assinatura.

Você gostou do conteúdo?

Inscreva-se em nossa lista de e-mails para ficar atualizado.

Este site usa cookies para melhorar a experiência do usuário. Ver detalhes